sábado, 5 de agosto de 2017

Aprenda com as tempestades


25 graus em pleno inverno é algo maravilhoso, há quem reclame por não poder desfilar todo charme das botas e casacões, há quem fique feliz com a tropicalidade dos dias, parece que até a natureza estranha e solta flor quando as folhas deveriam estar caindo, a calçada vira um tapete cor de rosa.

Eu amo o calor quando estou na praia, para cidade prefiro frio, não gosto de andar totalmente aquecida, sou calorenta, fico angustiada com muita roupa. O dia ideal para mim é aquele friozinho e com céu azul sem nuvens, mas claro, não há do que reclamar, todos precisamos de chuva de vez em quando. Segundo os livros de ciências, chuvas acontecem quando o ar quente e úmido sobe rapidamente para as áreas mais frias da atmosfera. Em seguida o ar esfria e formam-se as nuvens que depois de cheias precipitam-se.

Quando penso em chuva penso em casa, quando era criança a mãe ficava em casa se chovia e brincávamos todos juntos com massinha colorida feita com farinha e sal, ela costurava roupinhas para as bonecas ou cozinhava algo delicioso, então, gosto da chuva, sinto-me acolhida com o barulho, tenho a sensação de que algo bom irá acontecer, não me importo em molhar o sapato, é como se chegar em casa reservasse algo bom, sinto-me muito bem.

E na vida, o que são tempestades?
Crises acontecem a todo instante, somos seres mimados e tudo que discorda de nós transforma-se em oponente, mas não precisa ser assim. Na família, por exemplo, estamos no mesmo time, por mais que discordemos jogamos do mesmo lado para vencer, não somos adversários. Costumo dizer que a vida seria bem mais simples se houvessem mais mediadores entre nós. Observe que todo vez que algo ruim acontece, temos a necessidade de compartilhar, o problema é que as pessoa não conseguem apenas ouvir, elas tem que dar palpite, colocam mais lenha na fogueira e acabam dando conselhos que pioram a situação, não resolvem. De repente uma pequena rusga transforma-se em crise e vem a tempestade. Da mesma forma circunstâncias acontecem, maus negócios, desemprego, doenças, violências, não podemos controlar, assim como não controlamos a chuva, gastamos uma energia tremenda com coisas que não nos competem, estão além do nosso alcance, respondemos com mais crise e simplesmente não resolve. Discutir com a chuva, xingá-la, maldizê-la resolve? Não. O que resolve? Ficar em casa? Pegar o guarda-chuva e as galochas? 

Perceba que não são as tempestades, é o nosso jeito de reagir a elas. A chuva por si só é algo bom, precisamos de água para sobreviver, da mesma forma as crises forjam nosso caráter, assim como o fogo forja o ouro eliminando as impurezas, as tempestades extraem de nós o que somos. A pergunta é: vamos ficar com as impurezas ou com o metal precioso?

Digo e repito que nada acontece por acaso, há um propósito para tudo que acontece. Responda com maturidade, não fuja do que te cabe, abra os olhos e o coração e encare a chuva, vista algo adequado, coloque um sapato que aguente a situação, use um bom guarda-chuva e vá fazer o que precisa ser feito, não desista dos teus, não desista do propósito para o qual você foi criado, siga em frente.

Sem tempestade não há bonança. Lute!

Nenhum comentário:

Postar um comentário